18set
De: Ingrid Em: setembro 18, 2017 Categoria: Entrevistas Comentários: 0

 Conheça a fórmula de sucesso do vendedor Pit Bull

 

Luis Paulo Luppa “O vendedor Pit Bull” é considerado um dos maiores especialistas de vendas do Brasil. Escreveu 19 livros com mais de 2 milhões de cópias vendidas em mais de 30 países. Treinou mais de 1 milhão de profissionais em todo o mundo. Aos 23 anos começou a ganhar dinheiro como vendedor e atualmente é Chairman e CEO do Grupo Trend, empresa com atuação mundial no segmento de turismo. Em 2017 a CVC adquiriu a maior parte das operações da Check In Participações, empresa do Grupo Trend, por 258 milhões de reais. Graduado em Direito e pós-graduado em Marketing no Brasil e também graduado em Varejo nos Estados Unidos, possui ainda cursos de especialização na Europa e Estados Unidos em Merchandising e Gestão Empresarial. Iniciou sua carreira em 1980, atuando em empresas do segmento industrial, distribuidor- atacadista, varejo e serviços. Em 1993, Luppa foi eleito um dos melhores mil executivos do mundo. Já acumulou diversos prêmios, entre eles, o de excelência em treinamento em vender, personalidade do ano de RH, palestrante revelação do Brasil e palestrante internacional Brasil – Japão.

 

Nesta entrevista da série Turnaround, Luppa revela sua fórmula de sucesso e explica quais são os foram os comportamentos que ele assumiu para chegar ao topo.

 

Edgar Ueda: O Luppa é empresário, escritor, palestrante de sucesso e presidente do Grupo Trend. Qual foi o seu momento de Turnaround e em que momento você decidiu fazer isso?

 

Luppa: A vida é feita e ciclos e cada ciclo depende de uma grande virada. Eu não enumeraria uma. Acho que a grande virada ela tem a ver primeiro com um o teu lado de filosofia de vida e de comportamento de vida. A virada importante é a que te faz acordar. O que te faz despertar bem é fazer o que gosta e não gostar do que faz. Fazer aquilo que você gosta é o que te dá a energia diferente do seu competidor. Minha esposa todo dia me fala que eu trabalho muito e eu digo a ela: Eu não trabalho, eu me divirto. Quando você faz o que gosta você está na frente do seu competidor por você ter uma energia a mais, um sorriso a mais, uma capacidade de resiliência a mais. Acho que a grande virada na vida de todo mundo é descobrir o teu ponto de satisfação. O teu ponto de tesão. É você dizer, eu acordo feliz, eu acordo cantando, eu acordo batendo papo, eu acordo disposto a fazer as coisas. Aquilo que parece muito difícil, passa a ser viável. Então acho que a grande virada é emocional. A grande virada é comportamental. O quanto eu estou motivado para buscar o meu desafio? Pensar pequeno e pensar grande dá o mesmo trabalho. Então vamos pensar grande. Vamos pensar que todo mundo tem o direito a dar uma grande virada na vida. Quem deu e quem conseguiu não tem três pernas, quatro braços, cinco cabeças, é igualzinho. Simplesmente ele se dispôs a fazer aquilo que talvez você não esteja disposto.

 

Edgar Ueda: Como profissional de vendas você foi campeão. Como escritor escreveu 19 livros, mais de 2 milhões de cópias em mais de 30 países. Inclusive recebeu um prêmio de melhor palestrante Brasil-Japão em 2008 do embaixador. Como um executivo e presidente de uma grande empresa multinacional você teve essa alavancagem. Quais são os atributos? É um conjunto de competências, está ligado ao comportamento? Ao que você atribui todo esse sucesso?

 

Luppa: Primeiro é você entender que não consegue fazer nada sozinho. Para você ter uma condição de buscar algo diferenciado na sua vida vai precisar de ajuda sempre. Existem coisas na sua vida que você precisa eliminar, outras que você precisa gerenciar e outras que você precisa potencializar. Você jamais vai ter sucesso na sua vida, ou terá com prazo de validade muito curto, se você não eliminar da sua vida, por exemplo, a vaidade. Na minha opinião é o pior defeito do ser humano. É um veneno silencioso que te consome e você não tem a percepção desse consumo do mal que ele te faz. Quando você tem com você naturalmente a humildade e a força de trabalho você andou 50%. Eu estive no Jô (Soares) uma vez e ele me perguntou se eu tivesse que esquartejar o sucesso quantos porcentos seria pra cada coisa? Eu disse: 60% disciplina, 20% talento e 20% muito trabalho. Mas a disciplina é tudo, é o que te move. A disciplina é fazer bem feito aquilo que precisa ser feito. Para uma grande virada o primeiro passo é você acreditar em você. Você não precisa que ninguém acredite em você. Você não precisa que nem sua mulher, nem seu filho, nem seu chefe, seu sócio, nada. Basta você dizer, eu consigo. Agora o “eu consigo” qualquer um fala. Você tem que acordar cedo e dormir tarde. Aqui na empresa tem o brunch com o presidente. Não pode vir nenhum líder. Converso com o pessoal da faxina, pessoal que atende o telefone, só supervisor para baixo e eu pergunto: “me diz uma coisa quem é que faz alguma coisa aqui depois do trabalho”? Um diz, eu vou pra academia, outro diz eu nado. Eu digo, vocês não entenderem, o que você faz para ser alguém de verdade na sua família. A vida é uma família, você passa muito mais tempo no trabalho do que em casa com quem você ama. Há família no trabalho e família em casa. O que você representa pra sociedade? Por exemplo, você trabalha numa operadora de turismo, porque você não faz um curso de inglês, estuda espanhol, faz uma faculdade? Porque ninguém quer acordar cedo e dormir tarde. Sorte é quando a oportunidade encontra o preparo. Isso é sorte. Então se você não está preparado não adianta. Tudo que eu estou falando aqui não custa um centavo. Acreditar em você e comportamento. Quantos livros você leu neste ano? Conhecimento é muito legal, mas o que vale é a atitude. O que você fez na vida que deu certo? Garra, trabalho, disposição para aprender, continuidade, acreditar e disciplina é o que faz o cara vencer. O Tiger Woods tem uma expressão que eu gosto muito. “Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”. Isso explica o momento da virada. Mando e-mail para o meu pessoal 5h30 da manhã. As pessoas dizem que eu sou louco. Eu não mando e-mail chateando ninguém. Eu mando e-mail para inspirar a vida das pessoas, para orientar. As pessoas sabem o que querem, mas não sabem como fazer e nem como chegar lá. Difícil não é chegar no topo, difícil é se manter no topo. Esse é o grande desafio. A virada não é cheguei e sim se manter. Ser campeão uma vez qualquer um é, quero ver ser tricampeão. Esse é o lance. Quando você tem um preparo interior, um intelecto conversando com a sua força de trabalho aí você está preparado para a virada. Ela vem sem você perceber. As pessoas tem que entender é que o Jorge Lemann, o cara que construiu a Globo (Roberto Marinho), que o Guga que conseguiu sucesso no esporte, esses caras não tem nada de extraordinário. Eles fizeram acontecer. Daí você tem que escolher o time que você quer jogar. Quer estar no time do que aconteceu, do que está acontecendo ou do eu estou fazendo acontecer.

 

Edgar Ueda: Há algo que você fez no passado e daria de sugestão para não fazer novamente?

 

Luppa: Comecei minha vida carregando pastas e tive muito sucesso como vendedor. Tudo que acontece cedo na sua vida, tudo que é precoce tem uma chance de ter muita turbulência. Eu com 23 anos já ganhava dinheiro, vendia muito e naquele momento quando você não tem preparo emocional e psicológico você acha que você se basta. Uma coisa que se eu voltasse no tempo e teria chegado bem mais rápido aonde eu cheguei era ao invés de ouvir, escutar. Aprender escutar quem tem mais experiência e entender que a crítica é um tremendo anabolizante para o seu sucesso. Isso eu teria mudado aos 20 e poucos anos, pois só aprendi aos 30.

 

Edgar Ueda: As pessoas acham que o sucesso ocorre sem dor e sacrifício. Você sacrificou muita coisa para chegar aqui?

 

Luppa: Sucesso é dor. Eu fiz muitos sacrifícios, principalmente familiar. Hoje olhando aos 52 anos não ter visto a minha filha crescer não tem preço. Mas eu consegui recuperar isso a 3 anos atrás. Eu passei a me dar o direito de dizer primeiro a minha família, depois o resto. O erro comum que a gente comete é não estar sintonizado as suas prioridades com os seus objetivos. Tua prioridade é chegar cedo no trabalho e não dar atenção pro seu filho. Sucesso é dor. Sucesso é sacrifício. Sucesso é você ceder. Sem uma família estruturada e sem amigos do seu lado você também não  chega. Esteja preparado para o sacrifício que lá na frente é recompensador.

 

Edgar Ueda: Deixe uma mensagem final de Turnaround, de ponto de mudança.

 

Luppa: Eu te convido a fazer a venda mais importante da sua vida. A venda mais importante da sua vida você pode fazer hoje. Quando você for dormir, feche seus olhos e diga: “Eu vou vender eu para eu mesmo”. Se você se comprar está na hora da sua virada. Se você não se comprar falta alguma coisa. Busque ajuda para entender aonde está essa alguma coisa. Se você não se comprar, você nunca vai conseguir se vender. Se não consegue convencer a si mesmo de que você tem potencial para alguma coisa você não vai conseguir vender um talher. Não tenha pudor de pedir ajuda. Ninguém chega a lugar nenhum sozinho. Faça essa venda e amanhã de manhã pelo sim avance, pelo não busque ajuda. Só depende de você. A virada é sua.

 

Veja outros conteúdos dessa página clicando aqui

Gostou deste conteúdo? Compartilhe e ajude a multiplicar informações que motivam, inspiram e despertam mudanças que vão ajudar outras pessoas a virarem o jogo.