De: Ingrid Em: agosto 28, 2019 Categoria: Sem categoria Comentários: 0

A arte de ver a beleza nas cicatrizes da vida Kintsugi, O poder de dar a volta por cima aborda a milenar filosofia japonesa capaz de transformar a vida Kintsugi é uma técnica artesanal nipônica de reparação de cerâmicas quebradas utilizando pó de ouro, tornando a peça ainda mais valiosa. Durante os nove anos que viveu no Japão, Ueda conheceu a metodologia e em seu livro Kintsugi – O poder de dar a volta por cima. Em paralelo com essa arte, existe toda uma filosofia de vida, aplicada ao modo de ser do povo japonês, que fala da aceitação do que foi forjado pela vida, que sobreviveu aos desafios e renasceu depois de uma provação mais intensa, que lhe deixou marcas. Uma filosofia que ajuda a lidar com a ideia das perdas e da melhoria por meio da provação e da determinação de dar a volta por cima, renascer das cinzas, continuar em frente, apesar das cicatrizes que a vida deixou. Página 12 – Kintsugi, O poder de dar a volta por cima – Edgar Ueda Em Kintsugi, o leitor aprende que todo fracasso tem um lado bom. Diferente do que pode parecer, falhar não pode se tornar um estímulo para desistir e muito menos deve ser visto de forma negativa, mas sim uma oportunidade de adquirir sabedoria. Segundo o empresário, que também é um dos maiores palestrantes do Brasil, aprendemos com as derrotas. E com a consciência de que haverão muitos obstáculos no caminho da trilha para o sucesso, a evolução é certa. Além disso, não vencer uma batalha fortalece a pessoa para superar próximos desafios. Inspirado pela técnica japonesa, o autor criou seu modelo próprio de Turnaround (termo comum no mundo dos negócios), se baseando na linha de pensamento do Kintsugi. Para ele, o Turnaround é conduzido por um conjunto de fatores, porém essa virada só acontece quando se decide que é hora de mudar, virar o jogo e pensar de forma positiva. e muito, muito mais…

Gostou deste conteúdo? Compartilhe e ajude a multiplicar informações que motivam, inspiram e despertam mudanças que vão ajudar outras pessoas a virarem o jogo.